O 2º Festival Internacional de Filmes sobre Energia Nuclear, Urânio em Movi(e)mento, nomeou oito filmes, representando oito países, para o seu prêmio Oscar Amarelo, em três categorias: Melhor Curta (até 40 min), Melhor Longa (a partir de 41 min) e Melhor Animação. O festival começa 6 dias após a Cúpula da Terra (Rio + 20), na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM). Entre 28 de junho e 13 de julho, o festival vai exibir mais de 50 filmes de todos os continentes, sobre bombas atômicas, energia nuclear, mineração de urânio e os perigos radioativos. O festival vai culminar com a cerimônia de premiação no sábado, 14 de julho no mesmo local.

Os candidatos em 2012 são:

Melhor Longa-Metragem

Czerwony Guzik (O Botão Vermelho)
Direção: Ewa Pieta & Miroslaw Grubek, Produção: Miroslaw Grubek, Slawomir Grunberg, Polônia / EUA, 2011, 52 min
O militar russo, Stanislav Petrov, salvou o planeta contra a guerra atômica, em 1983.

Chernobyl: The invisible thief
(Chernobyl: O ladrão invisível)
Direção: Christoph Boekel, Produção: ARTE & WDR, Alemanha, 2006, 59 min
26 de abril de 1986. Um pesadelo nuclear vira realidade. Depoimentos de testemunhas do acidente nuclear de Chernobyl.

Not for Public Release: a Nuclear Incident in Lock Haven (Não publicável: Incidente Nuclear em Lock Haven)
Direção: Bill Keisling, EUA, 2010, 73 min
O Ministério da Defesa norte-amerciano foi o maior produtor de lixo radioativo do século XX. Várias empresas privadas forneceram produtos radioativos ao Pentágono. Lock Haven é um lugar contaminado por causa deste lixo radioativo privado.

Melhor Curta-Metragem

Atomic Bombs on The Planet Earth (Bombas Atômicas no Planeta Terra)
Direção: Peter Greenaway, Produção: Change Performing Arts of Milan, Holanda / Reino Unido, 2011, 12 min
Entre 1945 e 1989, as cinco potências nucleares explodiram 2.201 bombas atômicas sobre a Terra, produzindo destruição e contaminação radioativa, conhecida como “fall-out”. Um filme experimental que mostra todas as explosões atômicas com data e nome dos responsáveis.

Jadugoda the black magic
(Magia negra)
Direção: Shriprakash, Índia, 2009, 9 min
Mineração de urânio em Jadugoda, Índia. O lugar é o território do povo Adivasi. O filme mostra as consequências drásticas de uma mineração de urânio à população local.

Fikapaus (Coffe Break/Pausa para o Café)
Direção: Marko Kattilakoski, Suécia, 2011, 14 min
Dois profissionais, durante pausa para o café, conversam sobre os acidentes nucleares de Harrisburg, Chernobyl e Forsmark. Mas a vítima é outra. Um suspense irônico.

Melhor Animação

Leonids Story (A história de Leonid)
Direção: Rainer Ludwigs, Produção: Tetyana Chernyavska, Alemanha / Ucrânia, 2011, 19 min
Uma família está em busca do paraíso, mas entrou numa tragédia nuclear mundial: Chernobyl.

Sacred Ground (Terra Sagrada)
Direção: Karen Aqua, EUA, 1997, 9 min
No sudoeste dos Estados Unidos existe um importante sítio arqueológico de povos pré colombianos. Mais de 10 mil pinturas rupestres mostram a história do povo Jornada Mogollon que viveram entre 900 e 1400 d.C. Próximo ao local, os Estados Unidos detonaram a primeira bomba atômica do mundo, em 16 de julho de 1945.

Veja a programação completa do festival: www.uraniofestival.org/index.php/pt/programacao

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>