Mostra Internacional de SP anuncia filmes selecionados
Ai Weiwei

De 19 de outubro a 1º de novembro, acontece, em São Paulo, a tradicional Mostra Internacional de Cinema. Durante duas semanas, serão exibidos 394 títulos de variados países e diversas cinematografias, contando os 30 curtas-metragens inseridos em retrospectiva, apresentação especial e programação de realidade virtual (VR). Os filmes serão apresentados em mais de 30 espaços, entre cinemas, espaços culturais e museus espalhados pela capital paulista, incluindo exibições gratuitas e ao ar livre. A seleção deste ano faz um apanhado do que o cinema contemporâneo mundial está produzindo, além das principais tendências, temáticas, narrativas e estéticas produzidas em todo o mundo.

Isso se observa desde o filme de abertura, Human Flow – Não Existe Lar se Não Há para Onde Ir, do artista chinês Ai Weiwei, encabeçando uma lista de longas que abordam a grave crise mundial dos refugiados, até a homenageada pelo Prêmio Humanidade, a cineasta belga Agnès Varda, ressaltando a presença marcante das mulheres diretoras nesta edição. Outra homenagem deste ano é para o diretor Paul Vecchiali, que receberá o Prêmio Leon Cakoff. E, como tradicionalmente faz nas últimas edições, destacando a produção cinematográfica de um país ou região, a 41ª Mostra apresenta o Foco Suíça, com longas contemporâneos, uma retrospectiva da obra de Alain Tanner e a exibição de curtas do animador Georges Schwizgebel.

Além de Apresentações Especiais e das Retrospectivas do cineasta suíço e dos homenageados, a Mostra Internacional de Cinema apresenta as produções selecionadas nas seções da Competição Novos Diretores, que exibe títulos de diretores que tenham realizado até dois longas (os mais bem votados pelo público serão vistos pelo Júri Internacional, que escolhe posteriormente os que vão receber o Troféu Bandeira Paulista), e Perspectiva Internacional, que apresenta títulos recém-premiados e trabalhos de diretores já consagrados. A produção brasileira também ganha destaque com o Prêmio Petrobras de Cinema, que contemplará dois filmes brasileiros da seleção, para apoiar a distribuição dos mesmos no circuito comercial.

FILMES CONFIRMADOS

A seleção de títulos da 41ª Mostra apresenta filmes premiados em festivais internacionais, como The Square, de Ruben Östlund, vencedor da Palma de Ouro em Cannes; Loveless, de Andrey Zvyagintsev, que levou o Prêmio do Júri na mesma competição; Esplendor, de Naomi Kawase, agraciado pelo júri ecumênico no evento; e os selecionados Happy End, de Michael Haneke, O Dia Depois, de Hong Sang-Soo, Lover for a Day, Philippe Garrel, e A Trama, de Laurent Cantet. De Veneza, vêm os longas Custódia, de Xavier Legrand, Leão de Prata de Melhor Direção; Emma, de Silvio Soldini, exibido hors concours no festival italiano; e os premiados na seção Horizontes, Nico, 1988, de Susanna Nicchiarelli; Sem Data, Sem Assinatura, de Vahid Jalilvand; e Os Versos Esquecidos, de Alireza Khatami. Filmes premiados em Berlim também fazem parte da programação, como Félicité, de Alain Gomis, ganhador do Grande Prêmio do Júri; O Outro Lado da Esperança, de Aki Kaurismaki, vencedor do Urso de Prata de Melhor Direção; Noites Brilhantes, de Thomas Arslan, que teve o ator premiado; 1945, de Ferenc Török, agraciado pelo público na seção Panorama; Ana, meu Amor, de Calin Peter Netzer, cuja montagem foi premiada; além de Django, de Étienne Comar, que abriu o evento.

O vencedor do Festival de Toronto, Três Anúncios para um Crime, de Martin McDonagh, está presente na seleção, assim como Doce País, de Warwick Thornton, eleito o melhor filme da Toronto Plataform no evento. De Locarno, esta edição traz 9 Dedos, de F.J. Ossang, premiado como Melhor Direção; e outros reconhecidos pelo festival: Cocote, de Nelson Carlo de los Santos Arias; Irmãos do Inverno, de Hlynur Pálmason; Scary Mother, de Ana Urushadze; Aqueles que Estão Bem, Cyril Schäublin; e Lucky, de John Carroll Lynch, que traz um dos últimos trabalhos do ator Harry Dean Stanton. A seleção ainda apresenta filmes premiados em Sundance (Livre e Fácil, de Jun Geng), Roterdã (Tempo de Qualidade, de Daan Bakker), Tribeca (Mulheres Divinas, de Petra Volpe) e South by Southwest (Inflamar, Ceylan Özgün Özçelik), sem contar os títulos brasileiros reconhecidos em premiações e seleções de festivais internacionais.

Outros destaques deste ano são Com Amor, Van Gogh, de Dorota Kobiela e Hugh Welchman; Terra Heroica, Fronteira Queimada, de Nicolas Klotz e Elisabeth Perceval; A Maldita Primavera, de Marc Ferrer; O Jovem Karl Marx, de Raoul Peck; O Terceiro Assassinato, de Hirozaku Kore-Eda; Outrage Koda, de Takeshe Kitano; Napalm, longa sobre a Coreia do Norte dirigido por Claude Lanzmann; Abrigo, de Eran Riklis, mesmo diretor de Lemon Tree, e Uma Verdade Mais Inconveniente, de Bonni Cohen e Jon Shenk, além da première mundial do longa boliviano Eugênia, de Martin Boulocq; Where Has the Time Gone?, produção dos países do BRICS, com Walter Salles, Jia Zhangke, Aleksey Fedorchenko, Madhur Bhandarkar e Jahmil Qubeka na direção dos segmentos; e dos episódios 1 e 2 da inédita série alemã Babylon Berlin, de Henk Handloegten, Tom Tykwer e Achim von Borries.

SELEÇÃO DO OSCAR

A seleção de filmes também traz, até o momento, treze obras já indicadas por seus respectivos países para concorrerem à vaga do Oscar de melhor filme estrangeiro: ARGENTINA – ZAMA, Lucrecia Martel; ÁUSTRIA – HAPPY END, Michael Haneke; COREIA DO SUL – O MOTORISTA DE TÁXI, Jang Hoon; GEÓRGIA – SCARY MOTHER, Ana Urushadze; IRÃ – RESPIRO, Narges Abyar; IRLANDA – CANÇÃO DE GRANITO, Pat Collins; ISLÂNDIA – A SOMBRA DA ÁRVORE, Hafsteinn Gunnar Sigurðsson; NOVA ZELÂNDIA – MIL CORDAS, Tusi Tamasese; REPÚBLICA TCHECA – MÃE NO GELO, Bohdan Sláma; RÚSSIA – LOVELESS, Andrey Zvyagintsev; SUÉCIA – THE SQUARE, Ruben Östlund; SUÍÇA – MULHERES DIVINAS, Petra Volpe; e VENEZUELA – EL INCA, Ignacio Castillo Cottin.

FILME DE ABERTURA

O artista Ai Weiwei, que assina a arte do cartaz da Mostra deste ano, também participa da abertura da 41ª Mostra Internacional de Cinema, que acontecerá no dia 18 de outubro, para convidados, no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer, com o seu filme Human Flow – Não Existe Lar se Não Há para Onde Ir. Presente na seleção competitiva do Festival de Veneza, o longa terá sua primeira exibição brasileira na abertura da Mostra. O documentário aborda a crise dos refugiados de maneira detalhada e intimista, com cenas e entrevistas que percorreram mais de 22 países, nas quais o próprio diretor participa.

A trajetória do artista também será relembrada nesta edição, com a apresentação especial do documentário de Alison Klayman, Ai Weiwei – Sem Perdão, vencedor do Prêmio Especial do Júri no festival de Sundance de 2012. Além disso, a questão da crise dos refugiados é muito presente na seleção deste ano, a exemplo dos títulos Bem-Vindo à Suíça, de Sabine Gisiger; Pescadores de Corpos, de Michele Pennetta; O Outro Lado da Esperança, de Aki Kaurismaki; Lutando Através da Noite, de Sylvain L’Espérance; Happy End, de Michael Haneke; e Além das Palavras, de Urszula Antoniak.

MOSTRA BRASIL E PRÊMIO PETROBRAS DE CINEMA

A 41ª Mostra vai exibir 64 títulos brasileiros incluídos nas seções Apresentação Especial, Competição Novos Diretores e Perspectiva Internacional. Os filmes que estão na Perspectiva Internacional são inéditos na cidade de São Paulo, e os que fazem parte da Competição Novos diretores farão sua primeira exibição pública no país, dentro do evento. Os títulos da competição concorrem ao prêmio Bandeira Paulista de Melhor Filme, dado pelo Júri Internacional da 41ª Mostra. Entretanto, todos os brasileiros da Perspectiva Internacional e da Competição Novos diretores concorrem ao Prêmio do Público da Mostra, que inclui o Troféu Bandeira Paulista de Melhor Filme Brasileiro.

E, pela primeira vez, a 41ª Mostra vai contemplar dois filmes brasileiros, sejam eles da Competição ou da Perspectiva, com o Prêmio Petrobras de Cinema num total de R$ 300 mil, sendo R$ 200 mil para o melhor longa de ficção e R$ 100 mil para o melhor longa documentário. O objetivo do Prêmio é apoiar a distribuição dos respectivos filmes em pelo menos 15 salas e cinco praças ao longo dos primeiros 90 dias de lançamento comercial, no caso da ficção, e 10 salas e três praças ao longo dos primeiros, para o documentário. Os títulos selecionados serão avaliados por um júri convidado pela direção do evento.

Dentro da seção de Apresentação Especial, que inclui a projeção de títulos clássicos brasileiros, está programada a exibição da cópia em DCP de Cinema, Aspirinas e Urubus, de Marcelo Gomes. Na 29ª Mostra, em 2005, o longa se tornou a segunda produção brasileira a receber o prêmio Bandeira Paulista como Melhor Filme – a primeira desde que Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia, de Hector Babenco, foi agraciado na primeira edição do evento. Depois de 12 anos, o filme, rodado em 35mm, volta agora em versão restaurada, na 41ª Mostra.

FOCO SUÍÇA

A Mostra vem desenvolvendo nas últimas edições a tradição de trazer para o público um panorama da produção cinematográfica de um país diferente. Nesta 41ª edição, o recorte escolhido foi a Suíça, com destaque para as homenagens aos diretores Alain Tanner, que terá sete títulos exibidos em retrospectiva no evento, e Georges Schwizgebel, com sete curta-metragens animados em apresentações especiais, além do filme Ascensão e Queda de uma Pequena Produtora de Cinema que o cultuado diretor Jean-Luc Godard fez para a televisão em 1976 e uma vasta seleção de longas contemporâneos que passaram por festivais internacionais.

Retrospectiva – Filmes de Alain Tanner: Na Cidade Branca (1982), Amantes no Meio do Mundo (1974), Jonas e Lila, até Amanhã (1999), Jonas que Terá Vinte e Cinco Anos no Ano 2000 (1976), Messidor (1978), A Anos-Luz (1981) e A Salamandra (1971).

Apresentação Especial – Filmes de Georges Schwizgebel: Erlking (2015), Retoques (2008), A Menina e as Nuvens (2000), O Ano do Cervo (1995), 78 Voltas (1985), Impedimento (1977) e O Voo de Ícaro (1974).

SELEÇÃO LATINO-AMERICANA

Esta edição da Mostra conta com uma seleção de 34 títulos produzidos por países latino-americanos, como Argentina, México, Colômbia e Chile, entre os quais alguns estiveram em festivais internacionais, como O Pacto de Adriana, de Lissette Orozco, vencedor da categoria Peace Film Award em Berlim; A Noiva do Deserto, de Cecilia Atán e Valeria Pivato, exibido em Cannes; assim como A Cordilheira, de Santiago Mitre, na mostra Un Certain Regard do evento; e Zama, de Lucrecia Martel, que passou por Veneza e Toronto e será o candidato argentino para o Oscar de melhor filme estrangeiro. Também fazem parte da seleção A Telenovela Errante, de Raúl Ruiz e Valeria Sarmiento; El Inca, concorrente venezuelano na corrida do Oscar. Uma Espécie de Família, de Diego Lerman, e O Vendedor de Orquídeas, de Lorenzo Vigas.

HOMENAGEM A AGNÈS VARDA – PRÊMIO HUMANIDADE

Uma das precursoras da Nouvelle Vague e ícone do feminismo no cinema, a diretora belga Agnès Varda recebe uma homenagem da 41a Mostra com o Prêmio Humanidade, entregue, a cada edição do evento, a um cineasta cuja obra reflete questões humanísticas. A preocupação social presente em sua filmografia, que alia o realismo à narrativa ficcional, tanto nos documentários quanto em trabalhos de ficção, será relembrada em uma retrospectiva de 10 longas da realizadora, além da exibição de seu último filme, Faces Places (Visages, Villages). Exibido nos festivais de Cannes e Toronto, onde foi eleito o Melhor Documentário pelo público do evento canadense, a produção acompanha a viagem de Varda – que será agraciada com um Oscar honorário no próximo ano – e do fotógrafo e muralista J.R., que também assina a direção, pelas áreas rurais da França.

Títulos da Retrospectiva Agnès Varda: Faces Places (2017), O Universo de Jacques Demy (1995), As Cento e Uma Noites (1995), Jacquot de Nantes (1991), Jane B. por Agnès V. (1987), Os Renegados (1985), Uma Canta, a Outra Não (1977), Daguerreótipos (1975), As Duas Faces da Felicidade (1965), Cléo das 5 às 7 (1962) e La Pointe Courte (1954).

HOMENAGEM A PAUL VECCHIALI – PRÊMIO LEON CAKOFF

O veterano diretor francês Paul Vecchiali, conhecido por seu cinema apaixonado e heterogêneo, terá oito longas restaurados exibidos no evento junto de seus três últimos trabalhos lançados no Brasil, além da estreia mundial de Os 7 Desertores, do curta inédito Três Palavras de Passagem, de 2015, e do documentário média-metragem Revisitando La Martine, de Pascal Catheland, que registra a filmagem do curta. Também reconhecido por ser o primeiro realizador a vincular homossexualidade e Aids, Paul Vecchiali vem a São Paulo e será homenageado pela 41ª Mostra com o Prêmio Leon Cakoff.

Títulos da Retrospectiva Paul Vecchiali: Os 7 Desertores (2017), Revisitando La Martine (2016), de Pascal Catheland – doc média-metragem, Três Palavras de Passagem (2015 | curta metragem), O Ignorante (2016), É O Amor (2015), Noites Brancas no Píer (2014), O Café de Jules (1988), Uma Vez Mais (1988), Rosa La Rose, Garota de Programa (1986), No Alto das Escadas (1983), Réquiem para uma Mulher (1979), A Chantagem (1975), Mulheres, Mulheres (1974) e O Estrangulador (1970).

EXIBIÇÃO AO AR LIVRE NO IBIRAPUERA COM ORQUESTRA

Neste ano, a tradicional projeção ao ar livre que a Mostra realizada anualmente na área externa do Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer, será após o encerramento do evento, dia 3 de novembro, sexta-feira, com a exibição da cópia restaurada da comédia O Homem Mosca (Safety Last!, 1923), de Fred C. Newmeyer e Sam Taylor, acompanhada da Orquestra Jazz Sinfônica.

Com uma das cenas mais icônicas da era do cinema mudo, na qual o comediante Harold Lloyd fica pendurado nos ponteiros do enorme relógio de um prédio, o filme traz o ator como um homem do interior que vem para a cidade grande para conseguir casar com a sua namorada. Ele consegue um emprego em uma loja, mas ao organizar uma ação publicitária em que um amigo escalaria o edifício, sobra para o novato na metrópole a aventura à beira da morte. Aliás, em 2017, completa-se 100 anos da criação do personagem que caracterizaria a carreira de Harold Lloyd: o rapaz de óculos que, às vezes, tinha o nome do próprio ator e, em outras, era conhecido apenas como “The Boy”, foi encarnado pelo comediante, pela primeira vez, em Over the Fence (1917).

A trilha sonora do filme fica a cargo da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, criada em 1989, com o intuito de resgatar as tradições das orquestras de rádio e televisão que fizeram sucesso entre os anos 1930 e 1970. Tendo como diretor artístico e regente titular o maestro João Maurício Galindo, a orquestra se propõe a dar um tratamento sinfônico à música popular brasileira e universal, com uma sonoridade ímpar que une o erudito e o jazz.

VÃO LIVRE DO MASP

A tradicional programação de exibições gratuitas no Vão Livre do MASP será realizada diariamente às 19h30, de 23 a 28 de outubro. As projeções, em cópias 35mm do acervo da Cinemateca Brasileira, incluem apresentações especiais, como a homenagem aos 80 anos que o cineasta Leon Hirszman completaria no próximo dia 22 de novembro, com a exibição de Eles Não Usam Black-tie, filme vencedor do Leão de Prata do Festival de Veneza de 1981. O Dia Mundial do Patrimônio Audiovisual (World Day of Audiovisual Heritage) também será lembrado pelo evento na sessão de Quando o Carnaval Chegar, de Cacá Diegues. A 41ª Mostra também homenageia o ator Paulo José com a entrega do Prêmio Leon Cakoff e apresenta três filmes estrelados por ele: O Homem Nu, de Hugo Carvana, e os clássicos Macunaíma e O Padre e a Moça, de Joaquim Pedro de Andrade.

I FÓRUM MOSTRA-FOLHA

A 41ª Mostra realiza, em parceria com o jornal Folha de S. Paulo, a primeira edição do FÓRUM FOLHA-MOSTRA, uma série de encontros que serão realizados nos dias 25, 26 e 27 de outubro, no Itaú Cultural, com o intuito de promover um olhar para o cinema a partir de três de seus aspectos: o criativo, o mercadológico e o político. Nomes representativos da política e da economia cinematográfica, assim como realizadores, produtores e distribuidores se reúnem para o evento, que apresentará três mesas a cada dia, conforme a sua temática, no período das 10h às 19h. Assim, serão debatidos a intersecção de linguagens, na abertura do fórum; a relação do cinema com o mercado de bens culturais, no segundo dia; e o seu papel na contemporaneidade, incluindo questões como a representatividade e acessibilidade, no seu encerramento. O I Fórum Folha-Mostra será gratuito e aberto ao público em geral.

REALIDADE VIRTUAL NA MOSTRA

Pela primeira vez, os filmes de realidade virtual (virtual reality) integram a programação da Mostra, que dedica exibições especiais para apresentar ao público a nova tecnologia e linguagem, em parceria com as empresas Samsung, Weezee e Avell. De 19 de outubro a 1º de novembro, sessões dos 19 curtas-metragens VR serão realizadas em salas parceiras do festival.

Títulos da programação de realidade virtual (VR): Bloodless, de Gina Kim – premiado em Veneza 2017; Extravaganza, de Ethan Shaftel – seleção Tribeca 2017; Proxima, de Matthieu Pradat – seleção Veneza 2017; Dolphin Man, de Benoit Lichte; Leggenda, de Leslie Lévi e Laura Desimages; Planeta Infinito, de Momoko Seto; I Philip, de Pierre Zandrowicz; I Saw the Future, de François Vautier; Notes on Blindness, de Arnaud Colinart, Amaury La Burthe, Peter Middleton e James Spinney – extensão multimídia do longa Esplendor, de Naomi Kawase, esteve na seleção de Sundance e Tribeca 2017; The Dream Collector, de Mi Li – seleção Veneza 2017; Free Whale, de Zhang Peibin; Sergeant James, de Alexandre Perez – seleção Tribeca 2017; After Solitary, de Cassandra Herrman e Lauren Mucciolo – seleção SXSW 2017; Out of Exile: Daniel’s Story, de Nonny de la Peña; We Who Remain, de Sam Wolson e Trevor Snapp; Fogo na Floresta e Rio de Lama, ambos de Tadeu Jungle; Nothing Happens, de Urit Kranot e Michelle Kranot – seleção Veneza 2017; e Step to the Line, de Ricardo Laganaro – produzida pela Oculus VR e pela O2 Filmes, esteve na seleção de Tribeca 2017.

EXIBIÇÕES NO CIRCUITO Spcine DE CINEMA

Dando continuidade à parceria com o circuito Spcine a programação da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo se estende às salas distantes do centro expandido, inauguradas em 2016 pela Secretaria Municipal de Cultura. Os títulos selecionados pela 41ª Mostra têm classificação indicativa livre e pretendem estimular o público a participar das manifestações culturais que acontecem na cidade, cumprindo seu objetivo de atrair novas plateias. As exibições ocorrerão no Spcine Olido, Spcine Paulo Emilio – CCSP, Spcine Lima Barreto – CCSP, Spcine – Biblioteca Roberto Santos, Spcine Butantã, Spcine Caminho do Mar, Spcine – Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, Spcine Jaçanã, Spcine Jambeiro, Spcine Parque Veredas, Spcine Perus, Spcine Quinta do Sol, Spcine São Rafael, Spcine Três Lagos, Spcine Vila do Sol.

MEMÓRIAS DE CINEMA

Há dez anos na programação da Mostra – até então Os Filmes da Minha Vida –, o evento reúne depoimentos de artistas e personalidades sobre os filmes que exerceram alguma influência em suas vidas, acentuando-se mais o aspecto emocional do que técnico ou intelectual dessas produções. Nesta edição, estão confirmadas, até o momento a presença dos diretores Cacá Diegues, Daniel Rezende, Luiz Bolognesi, Marina Person e do roterista Di Moretti.

FILME DE ENCERRAMENTO

A cerimônia de encerramento desta edição, que será realizada no dia 1 de novembro, terá a exibição do filme A Trama (L’Atelier), de Laurent Cantet. A sessão, que contará com a presença do diretor francês, ocorrerá na sequência da premiação da 41ª Mostra.

LANÇAMENTO DE LIVROS

ABRACCINE: “DOCUMENTÁRIO BRASILEIRO – 100 FILMES ESSENCIAIS”

Dando continuidade à coleção iniciada com “100 Melhores Filmes Brasileiros”, lançado na edição passada da Mostra, a Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), em parceria com o Canal Brasil e a Editora Letramento, apresenta Documentário Brasileiro – 100 Filmes Essenciais durante a 41ª Mostra. Em formato de livro de arte e com ilustrações, a publicação reúne ensaios sobre 100 produções documentais brasileiras de diversas épocas e formatos, escritos por componentes da associação e convidados, além de 20 textos que enfocam personagens e movimentos que marcaram a história do gênero no Brasil. O lançamento, que ocorre no dia 26 de outubro, a partir das 19h, na livraria Blooks (Shopping Frei Caneca), será acompanhado do debate “A representação de raça e gênero no cinema brasileiro – os limites da percepção da crítica”.

AS PAIXÕES NA NARRATIVA: A CONSTRUÇÃO DO ROTEIRO DE CINEMA

Mestre em Cinema e doutor em Semiótica, o escritor e jornalista Hermes Leal apresenta uma nova teoria do roteiro em seu novo livro As Paixões na Narrativa: A Construção do Roteiro de Cinema. Na obra, lançada pela editora Perspectiva, o autor, que também é documentarista, elabora uma proposta que vai além das famosas teorias de Robert McKee e Syd Field, calcadas na ação, ao evidenciar as emoções dos personagens na construção da narrativa cinematográfica. O evento ocorre no dia 31/10, às 19h, na Livraria Blooks (Shopping Frei Caneca).

ITINERÂNCIA SESC DA MOSTRA NO INTERIOR PAULISTA

Já tradicional dentre os eventos que se desdobram no ensejo da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, a Itinerância Sesc da Mostra leva a 41ª edição do evento a 11 cidades do interior paulista, com a exibição de dez títulos selecionados entre as obras que integram a programação de 2017. Os filmes serão exibidos em 11 unidades: Araraquara, Bauru, Campinas, Jundiaí, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio Preto, Santos, São Carlos, São José dos Campos e Sorocaba, de 14 de novembro a 20 de dezembro de 2017.

SELEÇÃO EM CAMPINAS E ITINERÂNCIA CPFL DA MOSTRA

Com o patrocínio da CPFL e pelo segundo ano consecutivo, a Mostra vai apresentar em Campinas, exibições de filmes que estão na programação desta 41ª edição. As sessões serão simultâneas à programação do evento e acontecem no espaço CPFL Cultura – Auditório Umuarama, nos dias 24, 25, 26, 28 e 29 de outubro. Além disso, a Itinerância CPFL da Mostra, que já ocorre há duas edições, pela primeira vez será realizada logo depois do evento, ainda em novembro. Serão exibidos dez títulos selecionados entre as obras que integram a programação da 41ª edição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que será levada, de 06 a 12 de novembro, pelo Circuito CPFL a quatro cidades do interior paulista: Elias Fausto, Lins, São Vicente e Votorantim.

CIRCUITO

A programação da 41ª Mostra Internacional de Cinema ocorrerá em 41 salas de 34 locais de exibição: Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer (Área Externa), Cine Caixa Belas Artes (Sala 3), CineArte (Salas 1 e 2), Cinemateca Brasileira – BNDES, Cinesala, CineSesc, Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca (Salas 1, 2, 3, 5, 6), Espaço Itaú de Cinema – Augusta (Salas 1 e 4), Instituto Moreira Salles (IMS Paulista), Itaú Cultural, MIS, Playarte Marabá (Sala 1 ou 3), Playarte Shopping Pátio Paulista (Sala 2), Reserva Cultural, Spcine Olido, Spcine Paulo Emilio – CCSP, Spcine Lima Barreto – CCSP.

CIRCUITO GRATUITO: Instituto CPFL – Sala Umuarama (Campinas), SESC Belenzinho, SESC Campo Limpo, SESC Osasco – Cine Chaparral, Spcine – Biblioteca Roberto Santos, Spcine Butantã, Spcine Caminho do Mar, Spcine – Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, Spcine Jaçanã, Spcine Jambeiro, Spcine Parque Veredas, Spcine Perus, Spcine Quinta do Sol, Spcine São Rafael, Spcine Três Lagos, Spcine Vila do Sol, MASP (Vão Livre), CINUSP – Auditório CTR – ECA USP.

 

CENTRAL DA 41ª MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA – CONJUNTO NACIONAL
INFORMAÇÕES: De 09 a 13/10, das 12h às 18h
VENDAS: De 14/10 a 01/11, das 11h às 21h
Endereço: Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2073, (em frente ao Cinearte).

STAND DA MOSTRA PARA TROCA DE INGRESSOS (ADICIONAL À CENTRAL)
Frei Caneca (Shopping Frei Caneca, 3º andar, ao lado das bilheterias do cinema)
TROCAS: De 19/10 a 01/11, das 12h às 21h

VALORES DE PERMANENTES, PACOTES PROMOCIONAIS E INGRESSOS INDIVIDUAIS 2017

PERMANENTES E PACOTES PROMOCIONAIS

Permanente Integral – R$ 500,00
Permanente Integral Folha (15% de desconto para o titular da assinatura, mediante apresentação da carteirinha de assinante) – R$ 425,00
Permanente Especial (para sessões de 2ª a 6ª feira até às 17:55h, inclusive, não contempla finais de semana nem sessões noturnas) – R$ 117,00
Permanente Especial Folha (15% de desconto para o titular da assinatura para sessões de 2ª a 6ª feira até às 17:55h, inclusive, não contempla finais de semana nem sessões noturnas) – R$ 99,45
Pacote de 40 ingressos – R$ 374,00
Pacote de 20 ingressos – R$ 220,00

*O desconto de 15% da Folha é válido somente para o assinante titular, pessoa física.
* Desconto de 50% na compra de até dois ingressos por sessão de filme da Mostra na bilheteria dos cinemas, para a força de trabalho do sistema Petrobras (devidamente identificada com crachá funcional) e para Titulares do Cartão Petrobras (mediante apresentação do mesmo).
* Preço promocional para comerciários no CineSesc

INGRESSOS INDIVIDUAIS

Segundas, terças, quartas e quintas: R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia)
Sextas, Sábados e Domingos: R$ 24,00 (inteira) / R$ 12,00 (meia)

* Para adquirir ingressos no dia da sessão, somente nas salas de cinema.
* A Central da Mostra não vende ingressos avulsos, apenas os pacotes.

VENDAS PELA INTERNET

No site veloxtickets.com o ingresso poderá ser adquirido com antecedência de três dias a um dia, da sessão.

Relacionados

Compartilhe

(2) Comente

  1. Materia sensacional

  2. Pingback: Mostra Internacional de SP anuncia filmes selecionados | Zz Gonzalez

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>