Artigos Mercado — 13 dezembro 2016
A verdadeira importância da capacitação das Film Commissions

Uma film commission (FC), ou escritório de apoio à produção de conteúdo audiovisual, exerce dois papéis fundamentais: a) atrair produções audiovisuais para uma determinada região; e b) oferecer apoio logístico e operacional às filmagens nesta região. As FC’s podem servir como peças estratégicas para o desenvolvimento sustentável do setor audiovisual, além de contribuírem para o desenvolvimento econômico e criação de empregos de forma geral, o que já sucede, especialmente agora que o setor audiovisual vai na contramão em relação à crise econômica generalizada no Brasil. E mais: do ponto de vista tecnológico e comercial, hoje, o papel das FC’s é ainda mais importante devido à demanda das novas plataformas por conteúdo audiovisual, e sua filmagem em diversas locações.

Ao incluir as film commissions no “Plano de Diretrizes e Metas para o Audiovisual 2013″, a Agência Nacional de Cinema – ANCINE reconheceu o papel estratégico das FC’s para o setor audiovisual do Brasil, sendo que o plano tem como meta “ampliar o número de escritórios de apoio a produções audiovisuais estrangeiras no Brasil”, e afirma que “a implantação de film commissions e sua atuação regular e articulada com os serviços públicos são fatores importantes para a atração de investimentos em cinema, televisão e publicidade”.

Apesar da significativa meta geral, não há qualquer referência à qualificação e/ou certificação de film commissions. Esta situação é preocupante por duas razões principais, quais são:

1) A proliferação desordenada de film commissions, sem padrões operacionais, treinamento e certificação que não condiz com as atuais tendências positivas e a rápida expansão de praticamente todos os segmentos da indústria audiovisual brasileira e, portanto, torna-se um elo frágil na cadeia produtiva audiovisual nacional;

2) Nos últimos anos, e especialmente quando o Brasil se tornou o foco das atenções mundiais com a Copa do Mundo e as Olimpíadas, surgiu uma enorme demanda por serviços de apoio audiovisual, habitualmente prestados por FC’s, não só para FC’s dos grandes centros urbanos, mas também do interior do país.

A carência de programas de capacitação das FC’s no Brasil é preocupante tendo em vista a forte possibilidade de inúmeras film commissions serem administradas por indivíduos sem qualquer treinamento e experiência na indústria audiovisual. Assim, são criados entraves não só para produtores nacionais, mas também para produtores internacionais. Ambos precisam de atendimento profissional qualificado.

Atualmente, a única entidade internacional que oferece capacitação especifica para gestores das FC’s é a Associação Internacional de Film Commissions (Association of Film Commissioners Internacional-AFCI) nos EUA (www.afci.org/afci-university). A AFCI oferece vários cursos de formação à distância, inclusive em espanhol, e se compromete a proporcionar aos funcionários de film commissions as ferramentas que necessitam para prosperar no competitivo mercado atual. A entidade também patrocina a Cineposium, um foro anual de capacitação que oferece seminários de desenvolvimento profissional sobre a gestão e os processos de film commission.

Até agora, o esforço principal para corrigir a falta de capacitação de gestores das FC’s no Brasil tem sido feito pela REBRAFIC (www.rebrafic.net), a associação nacional de film commissions que tem entre seus objetivos: corrigir a deficiência na formação de muitas FC’s, garantir um padrão mínimo de qualidade no atendimento aos produtores nacionais e internacionais e promover o Brasil e todas as suas regiões como destinos para filmagens de conteúdo audiovisual nacional e internacional, além de organizar e disponibilizar as informações das FC’s em todas as regiões do país. Pelo segundo ano, a REBRAFIC ofereceu um Workshop gratuito, de um dia integral,  para FC’s no marco do Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro.

Por iniciativa da REBRAFIC, a editora Centro Latino-americano de Treinamento e Assessoria Audiovisual -LATC (Latin American Training Center) publicou no ano passado, com o apoio do escritório Cesnik, Quintino e Salinas Advogados, o primeiro Guia para Film Commissions no Brasil. O guia oferece, pela primeira vez em português, e especificamente para o Brasil, informações básicas e recomendações sobre como efetivamente estabelecer e operar uma film commission em nível municipal ou estadual.

Desenvolvido para um público diverso, incluindo políticos, funcionários do governo, produtores e gestores cinematográficos, o guia é apropriado tanto para projetar e planejar a estrutura para a criação de uma film commission, quanto para administrar e melhorar as FC’s existentes, onde quer que estejam. Dividido em duas seções, ele é composto por dez capítulos e seis artigos de autoridades nacionais e internacionais sobre o assunto. O Guia pode ser baixado sem custo do website da REBRAFIC.

Em reuniões recentes com o ex-Secretário do Audiovisual do Ministério de Cultura, Sr. Alfredo Bertini, ele manifestou o apoio total ao setor das FC’s no Brasil. Numa demonstração concreta do apoio do MinC, Bertini autorizou a gravação de vídeos de treinamento para FC’s no Centro Técnico Audiovisual, CTAv/SAV/MINC, no Rio de Janeiro. Os vídeos curtos de treinamento, que serão disponibilizados no YouTube,  serão produzidos pela REBRAFIC sobre tópicos e processos essenciais das operações das FC’s como: atendimento aos produtores, a emissão de autorizações, marketing e publicidade de film commissions, aspectos políticos, o orçamento básico, o cadastro de provedores e a política de neutralidade, entre outros temas.

Por outro lado, a partir de sua experiência do Workshop para Film Commissions no Festival do Rio, representantes da SEBRAE Nacional têm mostrado interesse em apoiar a capacitação de FC’s sua relação com os produtores de conteúdo audiovisual.

As autoridades brasileiras já reconhecem a necessidade de um programa bem estruturado e permanente de padronização e capacitação de film commissions em diversas cidades e Estados brasileiros, no sentido de apoiar uma formação profissional de alto nível para as FC’s, com certificação e reconhecimento nacional e internacional. Resta agora esperar as ações e apoio para garantir o crescimento e sustentabilidade do setor na cadeia produtiva audiovisual brasileira.

 

Por Steve Solot, Diretor Executivo da Rede Brasileira de Film Commissions – REBRAFIC www.rebrafic.net e Presidente da Rio Film Commission www.riofilmcommission.com

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>